segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Extinção foi causada por duplo impacto

Descoberta de cratera na Ucrânia aponta para causas complexas na extinção dos dinossauros, há 65 milhões de anos.


(DN - Portugal) Na realidade, os dinossauros não tiveram qualquer hipótese de sobrevivência. A teoria de que foram extintos por um impacto de um asteróide foi agora refinada com o estudo de David Jolley, da Universidade de Aberdeen, que aponta para um duplo impacto, seguido de uma chuva de meteoritos.

A controversa ideia do impacto foi apresentada em 1980, e os cientistas sempre apontaram a cratera de Chicxulub, no México, como prova de um choque de dimensões catastróficas coincidindo com a extinção. Nos últimos 30 anos, foram reunidos mais indícios de que algo de muito dramático aconteceu há 65 milhões de anos.

Um novo estudo sugere que o impacto de Chicxulub foi acompanhado de um segundo choque, que produziu a cratera de Boltysh, na Ucrânia, descoberta em 2002. Mas não se pense que era o mesmo asteróide a partir-se antes de chocar com a Terra. Foram dois impactos separados por alguns milhares de anos.

A ideia surge da análise das camadas de pólens e esporos associadas à cratera de Boltysh, cuja antiguidade é semelhante à de Chicxulub. Verificou-se existir uma camada de fetos, plantas ligadas à ocupação inicial após um impacto. Mas, para surpresa dos cientistas, após uns metros desta camada, surge um segundo nível de fetos, indicando outro impacto.

Aparentemente, os dinossauros foram destruídos há 65 milhões de anos, após a Terra ser vítima de uma chuva de asteróides cuja origem permanece um mistério para a ciência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário